[ editar artigo]

Equipe 2 do Startup Way Internacional - O que fez com que nossa equipe fosse um elemento diferenciado?

Equipe 2 do Startup Way Internacional - O que fez com que nossa equipe fosse um elemento diferenciado?

A questão da formação do grupo não foi nada simples e, embora aleatória e bastante complicada no sentido de formar uma equipe com os integrantes ideais que se encaixassem, conseguimos ter membros com características bem distintas uns dos outros. Ao sabermos que teríamos um tempo muito limitado, ficamos surpresos com a situação. Isso porque, a partir do que estávamos aprendendo, teríamos que encontrar pessoas que, mesmo desconhecidas, se encaixariam e se complementariam, suprindo cada uma delas uma necessidade do grupo. Iniciamos nossa busca a partir do teste das 16 personalidades, que se encontra dividido em quatro grandes grupos com quatro personalidades cada, os grupos são analista, diplomatas, sentinela e exploradores, visto que desejávamos perfis bem distintos escolhemos pessoas de diferentes personalidades. Outros pontos também que demos relevância em relação à escolha dos membros foram a formação acadêmica, vivências pessoais e o sexo, já que queríamos ter em nosso grupo ambos os sexos, no final acabamos com quatro mulheres e um rapaz, sendo três integrantes atuantes no mercado de trabalho e dois, estudantes universitários. Felizmente e por pura coincidência, cada integrante de nosso grupo é originado de regiões diferentes do Brasil e do mundo, que são especificamente: Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Pará e até mesmo Angola. Em relação aos membros, temos Jéssica, que é mineira, formada em Marketing, tem a personalidade de protagonista e crê que sua resiliência e sua pró-atividade auxiliarão em nosso projeto, além de gostar bastante de trabalhar com procriação. A Jéssica deu o pontapé inicial para a formação do grupo. Ela começou com uma ideia e foi em busca de pessoas que comprariam a sua ideia e que tivessem personalidades diferentes. Normalmente, ela é uma das pessoas mais proativas da equipe. De igual forma, temos Theillor, que é paraense e técnico em marketing, com a personalidade de arquiteto e tendo como habilidades em destaque ser analítico, determinado e objetivo, além de ter uma boa experiência na área de divulgação, relacionamento com o cliente e na divulgação e promoção de produtos. Sendo ele mais do tipo idealizador, não toma a frente nas discussão de ideias, mas nas discussões alavanca questões que direcionam melhor a discussão, fazendo-nos ver se o caminho que decidimos está mesmo correto. Ademais, temos Luísa, que é angolana e formada em engenharia informática, com a personalidade de ativista e tendo como habilidades principais o fato de ser analista, resiliente com design criativo, empreendedora e-commerce, programadora, criativa e resolutora. Ela, por estar em outro país, apresenta divergência quanto aos horários, no entanto se faz presente para nos guiar no mercado internacional e para nos ajudar nas atividades necessárias, além de possuir conhecimentos pessoais e força de vontade que impulsiona o nosso grupo; já Karen, que é pernambucana e graduanda em engenharia civil, tem a personalidade de ativista e como habilidades principais o fato de ser resoluta, criativa e perspicaz. Karen também é uma das pessoas mais proativas do grupo, por ter participado de outros eventos de desenvolvimento de  Startup, redirecionando a ordem de pensamento da equipe e tentando não desconstruir a ideia que tínhamos, e sim desenvolvermos melhor a questão da problemática, oferecendo maior embasamento para o desenvolvimento de um produto de maior impacto ; e Larissa, baiana e graduanda em farmácia, com a personalidade de mediadora e tendo como principais habilidades ser bastante focada no trabalho e organizada, diz ter aprendido em seu curso que “não há nada que não possa ser inventado ou melhorado”. Ademais, ela, mesmo sendo a pessoa mais introvertida da equipe, fato também revelado pelo seu perfil de personalidade, sempre está disponível para a realização de qualquer atividade, tendo sempre a mente aberta para possíveis mudanças do projeto, seja qual for a direção. Temos que, respectivamente, cada um exerce a função de CEO, CBO, CTO, CMO e CFO.  Embora nosso grupo tenha sido formado sem uma proposta de valor pré-determinada, temos como objetivo produzir algo inovador na área da educação, como um negócio social, visto que, como observamos, seria uma forma de impactar as pessoas profundamente, ao mesmo tempo em que supriremos as necessidades do meio social que será objeto de nosso estudo.

Em relação ao mercado externo, temos como foco a Angola, visto que observamos o quão carente o país é na matéria da educação, especificamente porque observamos alguns problemas, como: pouca mão de obra qualificada, falta de uma infraestrutura adequada para o ensino, deficiente metodologia de ensino, dentre tantos outros problemas que poderíamos destacar. Além disso, o país é a terra de um de nossos integrantes, o que facilita a conversação entre a equipe e a sua população, visto que o acesso a informações relacionadas à vivência da população local é escasso, sendo um dos motivos a falta de acesso da população à internet. Mesmo sabendo que formamos uma equipe que se dedica a um projeto na área da educação, nenhum de nós tem formação acadêmica ou já trabalhou na área da educação. Dessa forma, iremos necessitar do conhecimento de mentores, além do conhecimento de profissionais no campo da educação, permitindo-nos criar um produto de grande impacto social, que traga mudança de comportamentos e de contextos sociais como benefícios às populações dos países focados.

Por último, concluímos que, mesmo em um grupo com pessoas desconhecidas e de diferentes locais, conseguimos manter uma autonomia quanto às formas de pensar, o respeito mútuo e a mente aberta a discussões, objetos imprescindíveis para a harmonia de uma equipe. Esperamos que todos os participantes do evento consigam o mesmo.

 

Att,

Equipe 2

comunidade.hag.studio
Karen Danyele
Karen Danyele Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você